PREFEITURA - SERVIDORES MANTÉM ESTADO DE GREVE

Postada em 01 jun 2015

SERVIDORES MANTÉM ESTADO DE GREVE
Durante a assembleia geral do Sindicato dos Servidores Municipais de Foz do Iguaçu – Sismufi e do Sindicato dos Professores da Rede Pública Municipal de Ensino Fundamental de Foz do Iguaçu – Sinprefi, realizada na sexta-feira (29), os trabalhadores não aceitaram a proposta de parcelamento dos 8,34% (índice INPC), da reposição salarial (data-base). Eles querem que o prefeito Reni Pereira (PSB), pague a reposição referente a inflação, dentro do ano de 2015.
A Prefeitura encaminhou proposta assinada pelo secretário de Governo, Sergio Beltrame para pagamento da reposição em 4 parcelas. A primeira de 2% em junho, a segunda de 3% em dezembro, na sequência mais 1,67% em fevereiro, e a última parcela de 1,67% em março de 2016.
O impasse
O Posicionamento da maioria absoluta dos servidores de não aceitar a proposta, é por causa das parcelas que ficariam para 2016. No entendimento dos trabalhadores que compareceram em peso à assembleia, a Prefeitura deve honrar o pagamento da reposição salarial dentro do mesmo ano, pois quanto mais tempo levam para receber, mais o dinheiro perde o valor de compra.
Conforme a decisão da categoria, agora os dirigentes sindicais do Simufi e Sinprefi tem até quarta-feira (03), data da próxima assembleia para negociar com o executivo uma proposta de pagamento do índice de 8,34%, mesmo que parcelado, mas dentro desse ano.
Para o presidente do Sismufi, Aldevir Hanke apesar das dificuldades, a negociação continua. “ Na segunda-feira vamos comunicar o Prefeito da decisão, e esperamos que prevaleça o bom senso. Nós estamos reivindicando o que é de direito. Não queremos nada mais que o cumprimento dela”, enfatizou.
Mobilização
O diretor Jurídico do Sismufi, Marcelo Arruda, ressaltou a importância da participação de todos nas atividades de mobilização. “Vamos somar forças, vamos convocar os servidores de todos os setores da Prefeitura. A luta tem que ser de todos, pois a conquista também será para todos”. A partir dessa segunda-feira (01), os trabalhadores iniciam atividades de mobilização de luta pela totalidade da reposição salarial dentro desse ano. Hoje às 18h tem concentração no início da Avenida Brasil (Batalhão), e saída em passeata até a Praça do Mitre. Na terça-feira (02), a concentração será em frente a Câmara Municipal de Vereadores com participação na sessão da Casa para pedir o apoio dos vereadores à reivindicação.

Os servidores mantém o estado de greve e o indicativo de greve geral para o dia (08) de junho, para o caso de insucesso nas negociações. A próxima assembleia para avaliar o movimento e as negociações será na quarta-feira (03).

CONFIRA A REPORTAGEM EM ÁUDIO

Comentar


Publicidade