SAÚDE INTENSIFICA VACINAÇÃO CONTRA SARAMPO E FEBRE AMARELA A PARTIR DESTA SEGUNDA-FEIRA (16)

Ação de intensificação vacinal integra o “Movimento Vacina Brasil nas Fronteiras” do Ministério da Saúde

Postada em 16 set 2019

Inicia nesta segunda-feira (16) e segue até o dia 27 de setembro, uma nova mobilização para vacinação contra o sarampo e a febre amarela. A ação de intensificação faz parte do “Movimento Vacina Brasil nas Fronteiras”, uma estratégia promovida pelo Ministério da Saúde (MS) em regiões de divisa com outros países.

A estratégia foi desenvolvida conjuntamente com várias representações do Mercosul e da Organização Panamericana de Saúde (OPAS) devido à reemergência do sarampo nas Américas e potenciais surtos de febre amarela em regiões do Brasil.

“Essa é uma ação de intensificação específica para áreas de fronteira, com maior suscetibilidade de contágio pelas características de intenso fluxo de pessoas”, explicou a Diretora de Vigilância em Saúde (DIVS), Carmensita Gaievski Bom.

Além de Foz do Iguaçu, os municípios de Barracão (PR), Ponta Porã (MS), Dionísio Cerqueira (SC) e Barra do Quaraí (RS) integram a ação, bem como as cidades do Paraguai, Uruguai e Argentina, que fazem divisa com os municípios brasileiros.

Para garantir a vacinação, o Ministério da Saúde enviou para Foz do Iguaçu mais quinze mil doses da vacina Tríplice viral e quinze mil, da febre amarela.

Calendário

Além de intensificar a imunização em pessoas não vacinadas, a mobilização tem o objetivo de conscientizar a população para a importância da vacinação contra o sarampo e a febre amarela. As duas vacinas fazem parte do calendário básico do Ministério da Saúde e estão disponíveis continuamente nas unidades básicas de saúde.

“É mais um momento importante para conscientizar a população para a importância da imunização, tendo em vista que o ressurgimento do sarampo no país é reflexo da baixa adesão à vacinação”, explicou a Diretora de Atenção Básica, Adriana Izuka.

Vacinação

A imunização contra o sarampo faz parte da vacina tríplice viral, que também protege contra a caxumba e a rubéola. A ação direciona a aplicação da vacina em pessoas de 6 meses a 29 anos.

Crianças menores de dois anos devem tomar três doses da tríplice viral. A primeira aplicação, chamada de dose zero, é administrada em bebês de 6 a 11 meses. A segunda dose, aos 12 e a terceira, aos 15 meses.

Pessoas de 5 a 29 anos de idade não vacinadas ou com esquema vacinal incompleto devem ser vacinadas com a vacina tríplice viral. Para ser considerada vacinada, é necessária a comprovação de ter tomado duas doses da vacina. Os profissionais de saúde, independentemente da idade também devem receber duas doses, sempre com intervalo de 30 dias entre as aplicações.

Mulheres em idade fértil devem evitar a gravidez até pelo menos 1 (um) mês após a vacinação.

Febre Amarela

O protocolo estipula a vacinação contra febre amarela a pessoas de 9 meses a 59 anos de idade, nunca vacinadas ou sem comprovante de vacinação. A imunização contra a doença requer uma única dose da vacina.

A vacina febre amarela pode ser administrada simultaneamente com as demais vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, exceto as vacinas tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) ou tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) em crianças menores de 2 (dois) anos de idade. Neste caso, a recomendação é o intervalo de trinta dias entre as doses.

Outra ressalva bastante importante é a contra-indicação da dose para pessoas com alergia grave ao ovo, uma vez que a vacina é feita a base da proteína desse alimento.

Recomendação

Ao procurar a Unidade Básica de Saúde, leve o documento de identificação e a carteirinha de vacinação. A vacinação também é fundamental para moradores que vão viajar para as regiões que estão com surto da doença, como o Sudeste, já classificado como área de epidemia.
AMN

CONFIRA A REPORTAGEM EM ÁUDIO

Comentar


Publicidade