Solenidade em Curitiba comemora 25 anos da Rone

Postada em 20 jul 2017

A Rone (Companhia de Rondas Ostensivas de Natureza Especial) – subunidade do Batalhão de Operações Especiais (Bope) – comemorou seus 25 anos nesta quarta-feira (19), em uma solenidade no Quartel do Comando-Geral da Polícia Militar, em Curitiba. No evento foram entregues os braçais para 36 militares estaduais que concluíram o estágio de capacitação da Rone e também houve homenagem aos policiais que entraram para a reserva remunerada. A data de aniversário da subunidade é 13 de julho.

“É importante valorizar, qualificar e quantificar a atuação do Bope e da Rone na segurança pública do nosso Estado, pois o povo paranaense confia e depende desses profissionais”, disse o comandante-geral da PM, coronel Maurício Tortato.

O comandante do Bope, tenente-coronel Hudson Leôncio Teixeira, destacou a dedicação e o empenho dos policiais em prol da sociedade. “Tenho orgulho desses militares estaduais que concluíram mais uma fase profissional em suas vidas após muito policiamento ostensivo, rotineiro, várias horas de bloqueio e patrulhamento, mas sempre tentando fazer o melhor”, afirmou.

Durante o evento um certificado e uma placa foram entregues aos policiais militares da Rone que entraram para a reserva remunerada em função do comprometimento e lealdade nos mais de 25 anos de serviços prestados à corporação. Foram homenageados os cabos Marcos Aurélio Pereira da Silva, Samuel Chalcoski e Claudinei Justino dos Santos, além dos soldados Joélcio de Castro e Edinei Roberto da Graça.

O comandante da Rone, capitão Fábio Bonifácio Ferreira, destacou a importância de não esquecer daqueles que antecederam e construíram a história da subunidade. “Nosso dever é lembrar daqueles que faleceram no comprimento do dever, o sargento Wellington de Matos, o cabo Marcelos Mendes da Paixão e soldado Cleverson dos Santos que muito fizeram por esta corporação. Também parabenizo os 36 novos integrantes da Rone que abraçaram a causa e hoje recebem o braçal após longo período de estágio”, disse.

“É uma sensação de dever comprido e me sinto honrado de poder usar este símbolo que carrega 25 anos de história”, disse o tenente Johanes Norberto Tschoke Filho, que recebeu o braçal.

De acordo com o Setor de Relações Públicas do Bope, durante o período de adaptação ao serviço da Rone os estagiários receberam instruções e foram rigorosamente avaliados e considerados aptos a receber o braçal, que deve ser usado no braço esquerdo como símbolo do reconhecimento alicerçado no esforço de muitos outros policiais militares que passaram pela subunidade e honraram as tradições.

AEN
FTO: SD LEVI

CONFIRA A REPORTAGEM EM ÁUDIO

Comentar


Publicidade